Corpo Docente

William Wanderlan R. Guimarães, músico e produtor.

Monitor em oficinas na FCCR, monitor e maestro da Orquestra Jovem Luzes da Ribalta, do Instituto Cultural Luzes da Ribalta. Músico da Orquestra da Receita Federal de São Paulo, da Orquestra Sinfônica FMU Fiam-Faam, do Quarteto de Cordas Luzes da Ribalta, aprovado pelo Projeto Circulação da FCCR.

Proponente e músico do Projeto Nuances o Brasil, aprovado pelo Fundo Municipal de Cultura, em sua primeira edição, pela FCCR. Monitor e maestro da Orquestra Jovem Clubeca, do Ponto de Cultura Clubeca.

Iniciou seus estudos na Fundação Cultural Cassiano Ricardo (1999 - 2006), onde estudou com Ana Roseli Paes, Gualberto Estades, José Elinnar Alburqueque. Formado em Viola pela Emesp – Tom Jobim (2007 - 2012), onde estudou com Henrique Müller, Irina Matzen e Silvio Catto.

Tocou na Orquestra Sinfônica de São José dos Campos (2003 - 2005), na Orquestra Jovem do Estado de São Paulo, (2007 - 2012), onde em Agosto de 2012 foi em turnê com a Orquestra para festival MDR Musiksommer na Alemanha.

Referência no meio erudito com Quarteto Luzes da Ribalta, onde foi campeão no 3º Concurso de Incentivo de Música de Câmera Conservatório de Tatuí / Emesp – Tom Jobim (2011) e recebeu o Certificado de Reconhecimento ao seu trabalho pela Câmara Municipal de São José dos Campos (2010). Participou ainda de festivais, como o Internacional de Música das Montanhas, de Poços de Caldas (MG), e já se apresentou em grandes auditórios como o do Masp (Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand) e o da Pinacoteca do Estado e na sala São Paulo.

 

Deusdete A. Guimarães, músico e luthier.

 

Fundador do Quarteto de Cordas Luzes da Ribalta em (2005). Presidente do Instituto Cultural Luzes da Ribalta, onde ministra aulas de música. Monitor do projeto 'Nuances da Juventude', patrocinador pelo FUNDICARD da Fundhas. Monitor no AJAS (Associação Joseense de Ação Social) onde é professor de violino, viola e violoncelo. Monitor da Orquestra Jovem Clubeca, do Ponto de Cultura Clubeca.

Iniciou seus estudos de música no Conservatório Souza Lima em São Paulo em 1982, onde estudou canto orfeônico com Maestro Tito Lívio e Thelma Chan, deu continuidade aos seus estudos de Música na Fundação Cultural Cassiano Ricardo em 1997 onde foi aluno de violoncelo do professor Zygmunt Kubala (Polônia) e Esmael Dantas (Brasil).

Tocou na Orquestra Jovem de São José dos Campos (2000 – 2005) onde foi chefe de naipes do violoncelo, também participou do Coral Libercanto sobre regência da Sandra Mendes Sampaio.

Criou em 2012 o Instituto Cultural Luzes da Ribalta, onde ministra oficinas de música e luteria para crianças e adolescentes de São José.

 

Wellington Rebouças Guimarães, violino.

Iniciou seus estudos de violino aos nove anos e concluiu, em 2012, o bacharelado em música – violino pela Faculdade Integrada Cantareira, sob orientação da Professora Elisa Fukuda. Em 2008, foi spalla da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo (OJESP). Participou de importantes festivais nacionais e internacionais, como o “Festival Mattheiser Sommer – Academie” (como spalla), em Bad-Sobernheim (Alemanha) e Festival Internacional de Campos do Jordão. Fez aula com renomados professores entre eles: Hagai Shaham, Maxim Vengerov, Gilis Apap, Glenn Dicterow, Dmitri Beslinsky, Sholo Mintz, Yuzuko Horigome, Kristof Barati, Bela Horvath, Mark Gothoni e Gey Braustein. Tocou no naipe dos primeiros violinos da Orquestra Experimental de Repertório (OER) e foi concertino/spalla da Orquestra Sinfônica de Santo André. Participou como músico convidado nas orquestras: Jazz Sinfônica, Ensemble São Paulo, Camerata Cantareira (spalla) e da Sinfônica da USP (OSUSP) como concertino. Em 2008 ficou em 2° lugar no Concurso Pauta Mágica da Arte Livre, em 2013 foi finalista do programa Preludio da TV Cultura, e como Primeiro Lugar nos concursos: Paulo Bosísio, Jovens Solista da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo, solando 8 vezes o Concerto Nº 3 de W. A. Mozart (na Sala SãoPaulo e no Teatro São Pedro); foi solista 2 vezes consecutivas no programa Jovens Solista da Orquestra Experimental de Repertório, solando Rondo Caprichioso de C. Saens Saens e o Concerto em Mi menor de Mendelssohn (no Theatro Municipal de São Paulo);também foi vencedor dos Jovens Solistas da Filarmônica de Goiânia. No ano de 2016 foi convidado para solar com a OER o Concerto Nº 4 de W. A. Mozart no Theatro Municipal de São Paulo. Com a camerata Fukuda solou a Primavera de Vivaldi, e com a Neojiba solou o concerto Tríplice de Beethoven. Atualmente, atua como concertino dos 2º violinos da Orquestra Sinfônica Municipal (OSM) e também como Spalla da Camerata Fukuda.

 

Ana Carolina Rebouças Guimarães, violino.

Iniciou seus estudos de violino em 2001 na Fundação Cultural Cassiano Ricardo de São José dos Campos/SP, com Walter Finatto Ansante e Samuel Lima. Deu seguimento aos estudos na escola Municipal do Estado de São Paulo (EMESP – aluna de Andréa Campos), e teve aulas particulares com Claudio Micheletti. Em 2005 ingressou na Orquestra Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo diretamente como chefe de naipe dos segundos violinos. Em 2007 entrou para a Orquestra Experimental de Repertório e para a Camerata Fukuda. Dentre os prêmios da carreira: primeiro lugar no concurso 'A Pauta Mágica Art livre' (2007); primeiro lugar no III Concurso de Música de Câmara do Conservatório de Tatuí. Participou de diversas masterclasses com professores renomados: Sholomo Mintz, Maxim Vengerov, Gilles Apap, Pablo de Leon, Kristo Barati, Hagai Shaham, Nicola Benedetti, Lorenz Nasturica-Herschoyici, Rüdiger Liebermann, Philip Glass, Quarteto Latino Americano, dentre outros.  Em 2010 e 2011 participou da 41ª e da 42ª edição do Festival de Inverno de Campos do Jordão, onde atuou como spalla da Orquestra do Festival de Música Antiga.  Em 2015 participou do IV Festival Música em Trancoso no qual se destacou e foi escolhida para fazer música de câmara com o violinista Rüdiger Liebermann (membro do Berlin Ethilharmonic String Sextet). Em 2017 participou do Ilumina Festival. Já atuou como violinista convidada na Orquestra do Teatro São Pedro de São Paulo, Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Orquestra Sinfônica da USP, e Orquestra Jazz Sinfônica.  Fez participação como spalla e chefe de naipe na Orquestra Experimental de Repertório. Em 2015 foi convidada pelos maestros Johannes Schlaefli e Carlos Moreno a participar de um programa de estudos e concerto na orquestra Tonhalle Orchester  Zurich, na Suíça . Em 2017/2018 foi aluna da academia da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP) na classe do professor Emmanuele Baldini. Como academista participou da gravação do CD Villa-Lobos – Ascensão, e participou da Academy Quartuor Diotima – Paris/França, junto ao quarteto de cordas da Academia da Osesp. Atualmente integra os primeiros violinos da orquestra Filarmônica de Goiá, e faz aulas com o professor Luciano Pontes.

 

 

Rodrigo L. Prado, violoncelo.

Violoncelista, Bacharel em Música pela Faculdade Santa Marcelina, estudou também na Escola de música de São Paulo – EMESP. Foi aluno de Paulo Cesar, Mauro Brucoli, Gretchen Miller, Julio Ortiz e Vana Bock. Fez parte da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo, OCAM - Orquestra de Câmara da USP, Camerata Santa Marcelina, Orquestra Experimental De Repertório, Coletivo Cromo – projeto Contra Ponto, e é integrante do Quarteto de cordas Luzes da Ribalta, Grupo contemporâneo – EMESP, Ateliê contemporâneo – Escola Municipal de Música. Ganhou o 1º lugar no III Prêmio incentivo música de câmara (Conservatório de Tatuí /SP) e II Intercâmbio (EMESP/SP).

Atua como professor no Atelier De La Musique e no Instituto Cultural Luzes Da Ribalta.

Produção Executiva

Alisson Eli de Oliveira Dias, ator, produtor artístico e gestor administrativo.

 

Graduado em Gestão de Recursos Humanos, pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou na Prefeitura Municipal de Santa Branca, exercendo a função de Agente Administrativo. Atualmente é Diretor Administrativo do Instituto Cultural Luzes da Ribalta e Gestor Administrativo do Projeto Nuances da Juventude, patrocinado pelo FUMDICAD/CMDCA, em parceria com a Fundhas. Também é tesoureiro e gestor administrativo do Ponto de Cultura Velhus Novatus.

Participou de oficinas culturais de teatro na Fundação Cultural Cassiano Ricardo, dentro do Projeto Teatro na Comunidade, tendo a orientação artística do dramaturgo Sebastião Milaré e da atriz Elisabeth Hartman. Participou de oficinas de Interpretação Cênica para Teatro e Cinema. Participou de oficinas de percussão, teclado e criação literária na Fundação Cultural Cassiano Ricardo, realizando apresentações em casas de cultura. Participou dos espetáculos teatrais: Auto da Compadecida, Bailei na Curva, A Pedra Azul e a Bruxa Lilás (infantil), O Auto do Julgamento, O Terrível Capitão do Mato, Espelho Meu, Espelho Seu (infantil), Velhus Causus e Falando Sério (teatro nas escolas). Participou de três curtas metragens: O Anonimato, #Apaixonadinho (premiado como melhor curta metragem, na categoria infanto juvenil, no Festival de Cinema de Triunfo, no Estado do Pernambuco, e indicado para vários festivais nacionais e internacionais de curta metragem), e #Aindamaisapaixonadinho (continuação de #Apaixonadinho), curta metragem que participou de diversos festivais nacionais e internacionais. Participou como ator de um quadro do Programa Tempero Caipira, exibido na TV BandVale.

Coordenação Pedagógica

Drª Raquel S. Aranha, musicista, pesquisadora e produtora.

 

Iniciou os estudos de Violino Barroco nos Festivais Internacionais de Música Antiga de Juiz de Fora (com Luis O. Santos) e de Curitiba (com Manfred Kraemer), com os quais participou de projetos de orquestra no Brasil e no exterior. Foi membro da “Armonico Tributo”, da “Orquestra Barroca do Mercosul”, da “Orquestra Barroca do Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga”, da “Den Haag Baroque Orchestra”, da Orquestra Barroca da Casa da Música (Porto – Portugal), da orquestra da “Academia Barroca Europeia de Ambronay” na França em 2004 e 2005). Participou de inúmeros concertos em grupos de câmera em Portugal, Espanha, Holanda, Suécia, França, Alemanha e Coréia do Sul.

Em 2006 concluiu o Bacharelado em Violino Barroco no Conservatório Real de Haia (Holanda) onde foi aluna de Ryo Terakado. A partir de 2004 estudou também Dança Barroca sob orientação de Maria Angard Gaur (Holanda, 2004 - 2006), Christine Bayle (França, 2005 – 2006), Cecília Gracio Moura (2005 – 2006, 2014 - 2015), Ana Yepes (2014 – 2015) e Guillaume Jablonka (2014 – 2015).

Vem oferecendo diversos cursos de Dança Barroca nos principais eventos de música antiga do país – Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora (2007 - 2012), Semana de Música Barroca da UFMG (2008/2009), Encontro de Música Antiga de Olinda (desde 2009), Oficina de Música de Curitiba (2010/2011), II Colóquio de Música Antiga da UFG (2013) bem como promoveu cursos e/ou palestras em diversas universidades brasileiras (UNICAMP, UNICSUL, UEA, UDESC, USP, UNESP, UFPE, UFPR, UFRJ, UFU, UFG e UNB) e estrangeiras (EUM – Escola Universitária de Música de Montevidéu).

É uma das fundadoras do Grupo Ibero-Americano de Estudos de Danças Antigas (BR/PT), que se apresentou no I Encontro de Jovens Musicólogos em Lisboa, em 2012.

Em 2012 concluiu o curso de “Musicología para la Protección y Difusión del Patrimonio Artístico Iberoamericano”, realizado na Real Academia de Bellas Artes de San Fernando (Madri). Como parte dos seus interesses sobre artes, cursou as atividades de Calligraphie e Enluminure oferecidas pelos Archives Nationales – Paris (2014 – 2015).

Em 2016, ao lado de Ana Teixeira, Clara Couto e Osny Fonseca, organizou e realizou o projeto “Sentidos do Barroco: outras direções, outras lógicas, outros gestos” no Centro de Pesquisa e Formação do SESC / SP (projeto que integrou o Festival FranceDance 2016).

Em 2016 idealizou com Clara Couto e Osny Fonseca o grupo de estudo e prática em danças antigas “Passos do Barroco” (www.passosdobarroco.com).

Nos estudos acadêmicos, em 2010 concluiu o Mestrado em Musicologia na UNICAMP, sob orientação de Paulo M. Kühl, onde desenvolveu pesquisas sobre os balés nas Óperas Portuguesas do século XVIII.

Em 2016 defendeu o Doutorado na mesma universidade sobre o ballet en action de Jean-Georges Noverre, o qual incluiu pesquisas sob orientação de Raphaëlle Legrand (Sorbonne/Paris IV) em 2014-2015.

Desde 2012 vem realizando em São José dos Campos ações de preservação da memória dos chorões do Vale do Paraíba, integrando a equipe idealizadora do I, II e III Festival de Choro: Pixinguinha no Vale.

Desde 2017 é colaboradora no Centro de Documentação Musical do Vale do Paraíba, coordenado pelo Dr. Paulo Castagna (UNESP/SP), sediado no Parque Vicentina Aranha (São José dos Campos).

Desde 2018 integra o núcleo de pesquisadores do INET (Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança / Universidade Nova de Lisboa – Portugal).

Em 2018 iniciou a Licenciatura em Música (UNIMES), com previsão de término para Junho de 2019.

 Instituto Cultural Luzes da Ribalta desde 2009.